fbpx

Category: Melhores práticas

Controle de comissão

Controle de comissão: o que considerar ao definir a comissão de vendas? 2 semanas ago

Comissão de vendas é o percentual de remuneração destinado ao vendedor por uma venda realizada. Já reparou como essa gratificação pode ser uma ferramenta eficaz para incentivar o seu time? Somente por meio da motivação seus colaboradores conseguirão bater suas metas e atender os clientes com excelência. Isso mostra a importância de você ter um bom controle de comissão.

O ânimo para bater metas, vender mais ou ultrapassar limites deve estar presente em qualquer profissional, e esse trabalho de incentivo deve ser realizado inclusive em relação aos seus melhores funcionários.

Sabendo do papel da comissão de vendas na motivação de uma equipe, preparamos este post que traz alguns fatores que devemos considerar na hora de pensar nessa retribuição. Sabe o que deve ser levado em conta ao fazer o controle das comissões? Confira este artigo!

O faturamento da empresa

A comissão por faturamento é calculada em cima da receita bruta da empresa, ou seja, sem abater os custos. Esse tipo de comissão tem um alto poder de incentivar a equipe e garantir os ganhos da companhia. Muitas empresas determinam um valor de faturamento que deverá ser alcançado para considerar a comissão a ser paga.

Ficou difícil o entendimento? Vamos a um exemplo: imagine que, se a empresa vender o equivalente a R$ 50 mil, o vendedor tenha uma gratificação de 0,5%, mas, se a empresa bater um valor de vendas de R$ 70 mil, a comissão do vendedor seja de 1%. Percebe como seus funcionários vão batalhar para conseguir alcançar o montante que você espera?

Necessidade de venda

Está preocupado com equipamentos que estão parados no depósito por um longo período ou com aquele produto perecível que está com os dias contados? As comissões podem ajudar a não levar prejuízos com a obsolescência de produtos!

Por isso, crie uma gratificação especial para esses produtos específicos. Um lucro menor sobre esses produtos será melhor que um prejuízo! Com esse tipo de ação você consegue fazer a renovação do seu estoque, evitando grandes perdas, principalmente, com produtos e serviços influenciados pela sazonalidade.

Vendas à vista

Se o momento da sua empresa é uma situação de dívidas recentes com seus fornecedores ou de necessidade de amortização de outras despesas no curto prazo, essa pode ser uma ferramenta útil para aumentar o seu caixa.

Por isso, você pode criar uma gratificação temporária para as vendas a vista. Entretanto, seja cuidadoso com o valor da comissão e com o tempo de duração dessa ação. E não se esqueça de pensar na quitação das suas dívidas futuras!

Desempenho dos vendedores

Por que não criar uma disputa saudável entre os membros da sua equipe? Tal situação pode causar um aumento do desempenho dos vendedores. Dê prêmios àqueles que mais fecharam contratos, aos que tiveram maior evolução de vendas, aos mais alinhados com a missão da empresa, enfim, há inúmeras possibilidades.

O controle de comissão deve ser bem feito. É importante criar um plano de pagamentos das comissões e definir os prazos de atuação. A tecnologia, por meio de softwares, pode ajudar muito nessa organização.

Este conteúdo foi útil? Então saiba mais sobre como a tecnologia pode ajudar a alavancar seu negócio lendo o nosso artigo sobre ERP (Entreprise Resource Planning).

erp

Como um ERP ajuda no controle de pedidos? Saiba aqui! 3 semanas ago

Algumas tarefas relacionadas com o fechamento de vendas costumam trazer dores de cabeça a muitos empreendedores. Talvez o sistema indique certa quantidade de algum item que não está no estoque físico. Além disso, pode ser que você encontre dificuldades para apurar o faturamento e o lucro líquido do seu negócio. Por isso, que tal otimizar seu controle de pedidos?

ERP significa Enterprise Resource Planning e se refere a sistema de gestão empresarial. É a ferramenta ideal para simplificar diversas tarefas relacionadas com estoque, vendas, marketing, financeiro, atendimento ao cliente e assim por diante. Então, para entender como um ERP ajuda no controle de pedidos, continue a leitura!

Como um ERP ajuda no controle de pedidos?

O controle de pedidos é apenas uma das atividades que podem ser otimizadas com a ajuda de um ERP. Veja como ele auxilia nessa questão.

Baixa no estoque

Ao realizar uma venda, seja no e-commerce ou em uma loja física, é necessário automatizar a baixa no estoque. Se essa atividade for condicionada a algum processo manual, há muitas chances de ocorrerem erros, além da impossibilidade de o gestor obter informações atualizadas.

Um ERP cuida do controle do estoque, de forma que você tenha condições de analisar históricos de vendas, consultar o estoque atualizado de qualquer item, solicitar a quantidade ideal de cada produto ao fornecedor e assim por diante.

Repasse ao setor financeiro

Assim que uma venda é feita, o setor financeiro precisa ser informado disso. Afinal, o dono de um negócio deve se manter sempre por dentro do desempenho das vendas e manter o equilíbrio entre receita e despesa. Um ERP possibilita o acesso a esse tipo de informação de forma simples e organizada, por meio de gráficos e planilhas.

Geração do documento fiscal

Automatizar essa rotina evita diversos erros, como o recolhimento incorreto de tributos. Esse assunto requer um cuidado especial, já que a legislação brasileira, quando se trata de tributação, é muito complexa.

Um bom ERP conta com diversos parâmetros que garantem o pagamento correto de impostos, levando em conta as diferentes operações do dia a dia, como venda, troca, devolução etc.

Quais são os benefícios de um ERP no controle de pedidos?

Os benefícios de um ERP vão muito além da simplificação das atividades. Conheça algumas vantagens desse sistema.

Aumento da receita

Em vista do bom controle do estoque, um ERP pode ajudar você a impedir que faltem determinados produtos, o que levaria a perder vendas. Além disso, é possível otimizar o recolhimento de impostos, de forma que sua empresa não pague tributos desnecessariamente.

Diminuição da burocracia

A burocracia está muito relacionada com processos manuais. Já que um ERP realiza diversas atividades de forma automatizada, você e sua equipe não precisam se preocupar com tarefas burocráticas, o que contribui para a redução de erros e para o melhor aproveitamento da mão de obra.

Maior sucesso com o cliente

Um ERP agiliza várias etapas do atendimento, como a negociação entre cliente e vendedor e a emissão de nota fiscal de forma ágil e sem erros. No caso do e-commerce, em vista da simplificação no preparo para o envio, é possível fazer a remessa até mesmo em um prazo menor.

Tudo isso transmite uma boa impressão ao cliente, que certamente retornará em breve para negociar novamente com a sua empresa.

Conforme você pode ver, é possível simplificar o controle de pedidos e, ao mesmo tempo, tornar esse processo mais eficiente. O segredo é buscar um ERP desenvolvido por uma empresa especializada em varejo e que seja capaz de oferecer as melhores soluções para o seu negócio. Dessa forma, você passará a contar com processos otimizados.

Que tal levar essa tecnologia para dentro da sua empresa, a fim de aprimorar não só o controle de pedidos, como muitas outras rotinas relacionadas com a gestão do seu negócio? Entre em contato agora mesmo com a Web Managers e solicite um diagnóstico gratuito!

Redução de papel na empresa

Redução de papel na empresa: 7 dicas para não jogar seu dinheiro no lixo! 1 mês ago

O desperdício de papel é um problema que, além de prejudicar o meio ambiente, pode trazer prejuízos financeiros para o negócio e prejudicar a imagem da marca no mercado. Por isso, é importante adotar estratégias para conseguir a redução de papel na empresa.

As despesas com a compra de papel, armazenamento, tinta de impressão e manutenções de impressoras representam um valor significativo do lucro das organizações. De acordo com uma pesquisa realizada nos Estados Unidos, as companhias poderiam economizar até 1 bilhão de dólares ao reduzir seu desperdício de papel em 1%.

Porém, nem sempre os empresários sabem como fazer a redução de papel na empresa. Por esse motivo, preparamos este artigo com 7 dicas para evitar gastos desnecessários. Acompanhe a leitura!

1. Conheça os recursos da impressora

Todos os dias, diversos documentos são impressos na empresa, e muitos colaboradores fazem impressões sem necessidade, o que acaba contribuindo com o desperdício de papel. Porém, as impressoras geralmente têm recursos que ajudam a diminuir os impactos dessa prática na lucratividade do negócio.

Um desses recursos é a ativação do modo econômico, que auxilia na redução dos gastos com tinta e pode ser utilizado nos casos em que a qualidade da impressão não é tão importante. Para a redução de papel na empresa, também pode ser utilizada a função de impressão frente e verso (duplex).

2. Salve arquivos na nuvem

A cloud computing (computação em nuvem) traz diversas vantagens para o negócio, e uma delas é a redução de papel na empresa. Os documentos ficam armazenados em servidores fora da empresa e são acessados por meio de uma conexão com a internet, a qualquer momento e em qualquer lugar.

Alguns de seus benefícios são:

  • elimina a necessidade de armazenar papéis, o que reduz custos;
  • traz mais segurança às informações, já que a possibilidade de perda dos documentos diminui bastante;
  • oferece a possibilidade de acessar os documentos sempre que necessário e de forma rápida e prática;
  • permite encontrar e alterar os documentos de forma mais simples, sem desorganização.

3. Prefira os documentos digitais

Os documentos digitais reduzem a necessidade de manter documentos impressos, já que eles podem ser visualizados por colaboradores de todos os setores da empresa que tenham acesso ao arquivo. Além disso, é possível utilizar relatórios digitais em substituição aos impressos na hora de reuniões, por exemplo.

Utilizar documentos digitais também propicia um aumento de produtividade das equipes, já que eles são mais fáceis de organizar que os impressos. A maior agilidade para encontrar os arquivos evita perdas de tempo, que poderia ser utilizado para atividades mais importantes.

No caso dos documentos que precisam de assinatura — como os contratos —, é possível também contar com o recurso de assinatura digital para validação. Essa assinatura tem validade jurídica e, além de tornar a empresa mais sustentável, facilita a organização dos documentos e é especialmente útil quando ele precisa ser assinado por várias pessoas.

4. Recicle

Em vez de jogar as folhas já utilizadas no lixo, é muito mais útil reciclá-las, tanto para o meio ambiente quanto para a redução de gastos no negócio. Uma forma simples de fazer isso é utilizar essas folhas para fazer rascunhos e anotações pouco importantes, principalmente no caso de impressões feitas em somente um lado do papel.

Além disso, a reciclagem passa uma boa imagem da empresa para os consumidores, já que eles valorizam os negócios que se preocupam com o meio ambiente. Assim, eles conseguem se identificar melhor com sua marca e serviços, o que impacta positivamente os resultados da empresa.

5. Conscientize os colaboradores

A conscientização dos colaboradores é uma etapa importante da redução de papel na empresa, já que é possível evitar o desperdício com medidas simples, que podem ser facilmente adotadas no dia a dia. Alguns dos pontos a serem considerados são:

  • incentive a impressão frente e verso e, caso as impressoras da empresa não ofereçam suporte à impressão duplex automática, oriente os colaboradores a fazê-la de forma manual, reinserindo a folha na impressora para imprimir o segundo lado;
  • alerte sobre a importância de visualizar os documentos antes de solicitar a impressão, já que isso evita erros — de formatação, necessidade de correções ou informações irrelevantes — e o descarte de papéis já impressos que não serão utilizados;
  • utilize sistemas de gestão de impressão, para saber quais são os setores da empresa em que o desperdício é maior, e avise aos colaboradores para que tenham mais atenção em relação a isso;
  • crie metas de redução e informe os colaboradores sobre os objetivos a serem atingidos, pois, assim, eles se tornarão mais motivados a reduzir o consumo de papel.

6. Envie boletos por e-mail

Outra maneira de conseguir a redução de papel na empresa é optar por enviar os boletos por e-mail, em vez de imprimi-los, o que é mais prático e sustentável. Muitas pessoas preferem receber esse tipo de documento de forma digital, já que é muito mais rápido acessá-lo pela internet, sem ter que se preocupar com o armazenamento e descarte de faturas recebidas em papel.

7. Use as funcionalidades de um sistema

Um sistema de gestão ERP, além das diversas vantagens em relação à maior facilidade de administração do negócio como um todo, auxilia no processo de redução de papel na empresa.

O sistema ERP para lojas físicas e virtuais da WM10 traz funcionalidades que ajudam a diminuir os custos com impressão e trazem maior segurança pela forma de armazenamento de documentos fiscais. Isso porque ele funciona 100% em nuvem e está hospedado no maior servidor da América Latina (Equinix).

Uma dessas funcionalidades é a impressão de documentos essenciais, como o Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica (DANFE), na impressora térmica. Com ela, a empresa evita ter que imprimir as diversas notas em folhas tamanho A4 e passa a fazê-lo em tamanho menor e sem perda de informações.

Como você pôde perceber, a redução de papel na empresa ajuda a otimizar os recursos financeiros do negócio, além de tornar a empresa mais sustentável. Por meio da conscientização dos colaboradores e utilização de ferramentas tecnológicas — como um sistema de gestão específico para seu segmento —, é possível tornar essa tarefa mais fácil.

Você precisa de um sistema ERP para reduzir o desperdício de papel em sua loja, entre outros benefícios? Entre em contato conosco e saiba como podemos ajudá-lo!

Mapeamento de processos

Não perca 6 passos para a criação de um mapeamento de processos 2 meses ago

O mapeamento de processos é uma ferramenta de gestão que ajuda o empresário a compreender as etapas e o funcionamento dos procedimentos adotados no seu negócio. Com as informações obtidas por meio dele, é possível entender as práticas rotineiras e buscar soluções para tentar aperfeiçoá-las.

Dessa forma, o mapeamento permite ao gestor assumir o controle do funcionamento da sua organização, adotando ações específicas voltadas para a melhoria do desempenho do negócio, implantando novas estratégias e investindo no desenvolvimento contínuo do negócio.

Entre os principais benefícios que o mapeamento de processos oferece para a empresa, podemos destacar a eliminação de tarefas desnecessárias, a redução de atrasos e custos, a automatização da rotina, o esclarecimento dos papéis de cada colaborador dentro do processo, a padronização das práticas, a melhora no controle e monitoramento e o aperfeiçoamento do negócio.

Neste artigo, você vai conferir os seis passos essenciais para elaborar um mapeamento de processos na sua empresa. Acompanhe!

1. Defina o escopo do mapeamento

Antes de começar a colocar em prática um mapeamento dos processo na sua empresa, é preciso que você tenha em mente quais são os objetivos específicos que você deseja alcançar com esse projeto.

Entender aonde se deseja chegar ajuda a traçar um plano realista, com a compreensão de cada etapa do processo e o seu real motivo de existir. Por exemplo, um empresário pode estar buscando mapear os processos para identificar possíveis ineficiências e melhorar a produtividade.

Assim, se você quer criar um mapeamento de processos na sua empresa, comece compreendendo quais são os seus objetivos a curto, médio e longo prazo e por que esse mapeamento vai contribuir para os resultados que você deseja atingir.

Essa compreensão ajuda a ter foco e estabelecer critérios que vão ajudar durante todo o processo

2. Entenda os processos

Tendo o objetivo claro, você já pode seguir para a próxima etapa, que é a compreensão dos processo e da configuração atual da sua empresa.

Nesse momento, é preciso que você avalie a situação da empresa, suas rotinas e a razão de existir de cada processo dentro do contexto e das necessidades organizacionais.

Por exemplo, avalie como ocorrem a entrada e a saída de documentos. Existe um sistema de protocolo? A empresa guarda cópias de segurança? As ações são informatizadas?

Nessa seara, qual é a importância desses processos para a empresa? O processo adotado atualmente para o setor atinge os objetivos do negócio? Qual é o tempo de execução desse processo e quem se beneficia dele?

Tenha em mente que, para conseguir aprimorar um processo, é preciso entender o motivo de sua existência e o seu real benefício.

3. Identifique problemas

Na etapa de análise da situação e dos processos atualmente adotados pela sua empresa, certamente, você vai se deparar com problemas. Em alguns casos, os problemas se tornarão evidentes antes mesmo da análise dos processos.

Alguns gestores decidem realizar o mapeamento justamente por perceber que algumas situações, erros e incoerências estão causando prejuízos para o negócio. Nesse sentido, é importante que você avalie onde estão os pontos de ineficiência e utilize esses dados como base para criar um novo processo ou aperfeiçoar o atualmente existente.

4. Defina os processos

Essa é a etapa na qual você vai começar a dar forma ao mapa dos processos dentro da sua empresa. As regras para definição dos processos são simples e vão estar baseadas nas informações que você mesmo buscou nas etapas anteriores.

Uma dica que vai ajudar a definir os processos é a realização de um brainstorm das atividades realizadas pela empresa. Você pode lançar todas as informações em um arquivo e depois organizá-las de forma sequencial.

Vale destacar que essa etapa deve ser feita em conjunto com os profissionais que participam dos fluxos de trabalho, já que eles podem contribuir significativamente para entender as demandas, necessidades, prazos e processos de trabalho.

5. Monte o mapa

Agora que você já tem um panorama completo das atividades realizadas e das demandas dentro do ambiente organizacional, é hora de transformar essas informações em um mapa. Lembre-se de que esse mapa deve ser de fácil entendimento, para que qualquer pessoa que leia consiga interpretar e entender as informações ali lançadas.

Nesse sentido, cada elemento de um mapa de processos deverá ser representado por um símbolo. Os símbolos ovais são utilizados para mostrar o começo e o final de um processo. Os retângulos, por sua vez, indicam atividades que precisam ser feitas, e as setas representam a direção do fluxo.

Adapte o seus processos e, ao finalizar a montagem do mapa, avalie de forma atenta se o processo realmente reflete todas as necessidades da empresa e se as atividades estão de acordo com o estudo realizado.

Confira se existem redundâncias, bem como se alguma etapa deixou de ser mencionada. Antes de compartilhar o mapa com todos os colaboradores, consulte alguns profissionais e verifique, de forma conjunta, se o resultado reflete exatamente as demandas e o objetivo da empresa.

6. Invista na automatização dos processos

A tecnologia trouxe para as empresas a oportunidade de melhorar o seu desempenho, garantindo maior eficiência e produtividade em atividades que, antes, precisavam ser realizadas de forma repetida pelos funcionários, tornando-se passíveis de erros.

A automatização de processos é uma técnica que consiste no uso da tecnologia e da integração de sistemas para aprimorar o controle sobre o fluxo de trabalho. No âmbito do mapeamento de processos, a automatização garante melhor desempenho, redução de falhas e aumento na produtividade.

Como você pôde ver, o mapeamento de processos é uma estratégia importante para quem busca melhorar o desempenho das atividades dentro da empresa, eliminando processos desnecessários e ampliando a eficiência dentro da sua organização. Por essa razão, investir em boas práticas se reflete na melhora dos resultados e no crescimento da empresa.

Você gostou deste artigo sobre mapeamento de processos empresariais? Então aproveite para aprofundar o seu conhecimento sobre eficácia e agilidade em processos e confira este artigo especial que preparamos sobre as vantagens da padronização de processos na loja física e virtual.

Fluxo de caixa

Você sabe como estruturar um bom fluxo de caixa para sua empresa? 2 meses ago

Você tem tido dificuldades para manter as finanças do seu negócio sob controle? Muitos empreendedores acabam não tendo uma boa noção de como estão a receita e as despesas da firma. Assim, pode faltar dinheiro para pagar os fornecedores, e fica a sensação de que a empresa não está dando lucro. Esse problema pode ser evitado com um bom fluxo de caixa.

É claro que você não quer entrar para a triste estatística dos 60% de empresas que fecham antes dos primeiros 5 anos de vida, não é mesmo? Já que a falta de um bom controle das entradas e saídas é uma das principais causas da morte de um negócio, vale muito a pena estruturar um bom fluxo de caixa para sua organização. Então, continue a leitura para descobrir como fazer isso.

Entenda o que é fluxo de caixa

O fluxo de caixa é um instrumento para o controle financeiro do negócio e deve conter todas as informações de entradas e saídas de dinheiro.

Isso significa que você deve registrar tudo o que sua empresa recebe, como pagamentos em dinheiro e cartão de débito e crédito. Também é preciso relacionar todas as despesas, o que inclui aluguel, contas de água, luz, telefone e internet, salários dos funcionários e pagamentos a fornecedores, por exemplo.

Algumas pessoas talvez pensem que a Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) pode substituir o fluxo de caixa. Porém, esse documento é fornecido apenas anualmente pela contabilidade e contém informações resumidas sobre as contas da empresa. Assim, ele não permite conhecer a fundo as contas do negócio e ter uma posição atualizada das finanças.

Um bom fluxo de caixa deve levar em conta o ciclo operacional do negócio. Isso tem a ver com o tempo que abrange desde a data em que o produto foi comprado até o momento em que o cliente fez o pagamento. Assim, o ciclo operacional inclui todos os processos envolvidos nesse período.

Saiba por que o fluxo de caixa é tão importante para a empresa

Acompanhar o fluxo de caixa é uma atividade básica para o empreendedor. Isso permite saber para onde o dinheiro está indo e se vale a pena investir um pouco mais em alguma área e ter uma boa noção de onde é possível reduzir gastos.

Esse acompanhamento ajuda a evitar despesas desnecessárias e o endividamento da empresa. Todas essas informações ajudam a trabalhar de forma estratégica para que o negócio cresça de modo saudável.

Veja algumas sugestões para estruturar um bom fluxo de caixa

Abaixo, estão algumas dicas úteis para fazer um bom fluxo de caixa. Lembre-se de que elas podem ser usadas na sua empresa, independentemente de você ter um negócio físico ou um e-commerce.

Separar entradas e saídas

É importante registrar todas as entradas, e isso inclui também aquelas que estão previstas, embora ainda não tenham sido concretizadas. Isso significa que é necessário ter uma previsão dos valores de cheques predatados e das compras na função crédito, que geralmente são liberados após cerca de um mês.

Para organizar as saídas, é muito útil separá-las em categorias. Por exemplo, você pode criar uma categoria “Fornecedores” e incluir nela tudo aquilo que é gasto com a compra de mercadorias. Uma categoria nomeada como “Despesas Operacionais” poderia incluir despesas com aluguel, água, energia elétrica, telefone e internet.

Criar categorias de despesas permite ter uma boa noção de para onde o dinheiro do seu negócio está indo. Assim, fica mais fácil identificar áreas que precisam reduzir os gastos e outras que podem receber investimento, por exemplo.

Ter controle sobre todas as informações

É necessário registrar todas as despesas, por mais irrelevantes que possam parecer — até mesmo a compra de materiais de limpeza ou de papel A4, por exemplo —, para que você tenha uma visão bem completa da situação financeira da empresa.

Acontece que, muitas vezes, os desperdícios ocorrem justamente em despesas aparentemente insignificantes. Afinal, é isso o que acontece em nossas finanças pessoais, não é mesmo?

Se você vai começar agora a montar o fluxo de caixa do seu negócio, não se preocupe com o passado. O trabalho e o tempo envolvidos em recuperar todas essas informações fazem com que não valha a pena. Porém, a partir de hoje, você não deve deixar de registrar nada, ok?

Analisar os resultados

De que adiantaria registrar todas essas informações e não fazer um bom uso delas? Na verdade, analisar relatórios é uma das atividades mais importantes de um empreendedor. Afinal, você não deve se concentrar tanto em tarefas operacionais a ponto de deixar as estratégicas de lado.

Um aspecto a se levar em conta é que, embora alguns resultados possam parecer negativos, talvez não signifiquem prejuízo. Isso acontece porque você pode ter feito investimentos, como a compra de um novo computador ou a instalação de um software de gestão.

Porém, se, no decorrer de alguns meses, você perceber que o resultado negativo tem se repetido, será preciso tomar providências para reverter essa situação. Talvez seja necessário verificar se o capital de giro da empresa está sendo suficiente ou se, de fato, há gastos que podem ser reduzidos.

Investir em ferramentas de gestão

Você deve estar percebendo que um bom fluxo de caixa requer lidar com uma grande quantidade de informações, não é mesmo? Porém, isso não deve desmotivar um empreendedor de manter o controle sobre as finanças do negócio.

Ainda bem que há softwares que podem auxiliá-lo nessa tarefa. Um bom sistema de gestão pode ajudar você a fazer registros confiáveis e a realizar análises detalhadas de forma simplificada. Por exemplo, o simples fato de olhar um gráfico já ajuda a ter uma boa visão de como as coisas estão indo, além de possibilitar uma projeção do que acontecerá mais à frente.

Com este artigo, você viu como é importante ter um bom fluxo de caixa. Além disso, também recebeu algumas sugestões para fazer isso de maneira eficiente, mantendo o controle sobre todas as informações e fazendo uma boa análise dos resultados. Afinal, um empreendedor precisa trabalhar de modo estratégico, e a informação é a sua grande aliada.

Agora que você já sabe como organizar um bom fluxo de caixa, que tal conhecer uma ferramenta que facilita esse trabalho? Então, leia o artigo “Fluxo de caixa para pequeno e grande varejo”.

integração entre a loja física e o e-commerce

Como funciona a integração entre a loja física e o e-commerce? 2 meses ago

Apesar da popularidade, o e-commerce é considerado um mercado relativamente jovem no Brasil mas, dos anos 1990 até hoje, vem evoluindo a passos gigantescos. Segundo algumas estimativas, o comércio online já contabiliza mais de US$ 1 trilhão em movimentações anuais no mundo.

Esse grande crescimento vem da boa experiência que os usuários têm vivenciado, porém ainda existe um nicho que prefere ver o produto fisicamente, experimentar, tocar para então estar convencido a realizar a compra.

Se você quer angariar esses clientes a solução é ter dois modelos: uma loja virtual e uma loja física. Sabendo da importância da união desses dois padrões, preparamos este post que explica como funciona a integração entre loja física e e-commerce. Achou o assunto interessante? Fique com a gente e continue a leitura!

O investimento em tecnologia

Se você tem modelos distintos para atender clientes diferentes saiba que controlar os dois de maneira isolada é uma tarefa quase impossível. Por esse motivo é fundamental ter uma ferramenta de controle única.

Atualmente existe um tipo de software no mercado que viabiliza o gerenciamento dos dois moldes integradamente. São plataformas conhecidas como ERP’s (Enterprise Resource Planning), que possibilitam o gerenciamento de todos os departamentos da empresa por meio de um único canal.

A importância do uso da estratégia Omnichannel

O modelo omnichannel faz a integração de todos os canais de atendimento, atuando para gerar melhores experiências ao público. Dessa maneira, um cliente pode estar na loja física, utilizar um aplicativo mobile para verificar o preço e as especificações de um produto, solicitar a compra com um atendente e requerer que o produto seja recebido na sua casa.

Assim, os canais se completam para facilitar e personalizar o método de compra de acordo com a necessidade do cliente. Trabalhar para a maior satisfação do consumidor pode trazer inúmeras melhorias.

É necessário ter alguns cuidados quando trabalhar com disposições online e offline. Um deles é manter campanhas, promoções e variação de preço tanto no comércio físico como no e-commerce. Ações distintas podem ocorrer se peculiaridades permitirem, e devem ser muito bem explicadas ao público para que a confiança na marca não seja quebrada.

Os benefícios da integração “físico-virtual”

Aumento da fidelização

Os consumidores gostam de ser bem atendidos e não querem ter dificuldades para realizar suas compras e receber seus produtos. Ao fazer a integração entre a loja física e a virtual, sua empresa criará opções para facilitar a vida dos seus clientes, melhorando o relacionamento e criando uma fidedignidade por parte do seu público.

Maior alcance

A maioria da população está online e muitos clientes gostam de fazer comparações de preço e de características de produtos pela internet antes de escolher o que vão adquirir e onde.

Ter uma loja virtual é essencial para alcançar melhores resultados, pois sua loja agora não precisa mais ficar aberta apenas durante o horário comercial. Ela na verdade estará aberta 24 horas e ainda pode ser visitada de qualquer local do mundo.

Não podemos esquecer, como dito, que muitas pessoas ainda preferem ver o produto antes de comprá-lo. Portanto, também há uma grande importância de junto a uma loja virtual existir uma loja física, facilitando a aderência desse perfil de consumidor e ajudando em entregas e trocas de mercadorias.

Expansão dos canais de vendas

Expandir o seu negócio físico acrescentando um e-commerce possibilita a fuga do atendimento ao cliente convencional, como e-mail e telefone, para as ferramentas mais atuais, como redes sociais, chats e aplicativos. Isso resulta em um crescimento da imagem da marca, pois ela chega a mais consumidores e a mais localidades de atuação.

A integração entre loja física e e-commerce pode gerar um grande aumento de receita. Manter-se conhecido no mercado e entender o comportamento do seu público-alvo são fatores muito importantes para obter sucesso no seu negócio.

Procure mesclar o melhor dos dois serviços, sempre mostrando para o cliente que as duas modalidades estão integradas. Um serviço personalizado e alinhado à satisfação do consumidor só tende a gerar mais benefícios para a empresa.

Curtiu nosso post sobre integração entre loja física e e-commerce e lembrou-se de algumas situações vantajosas dessa integração? Compartilhe com a gente, deixando seu comentário aqui no post!

gestão de uma rede de lojas

Como fazer a gestão de uma rede de lojas de forma eficiente? 3 meses ago

Se o seu negócio cresceu, isso é ótimo! Porém, à medida que sua empresa se desenvolve, é necessário que você aprimore a sua capacidade de administrar. Afinal, para cuidar bem de uma rede de lojas, é preciso lidar com uma grande quantidade de informações e usá-las para tomar boas decisões, não é mesmo?

Quando o negócio cresce, é comum que os empresários tenham dificuldades para fazer uma gestão centralizada de processos, estoque, pessoas, fluxo de caixa e assim por diante. Se você está procurando maneiras de lidar com todas essas questões, continue a leitura deste artigo e fique de olho nas nossas dicas para fazer uma boa gestão da sua rede de lojas.

Fazer um controle de estoque global

É necessário manter um bom controle sobre o estoque de cada loja. Assim, você poderá consultar, a qualquer momento, quantas unidades de determinado produto estão disponíveis.

Aliás, por utilizar um bom software de gestão, você terá acesso até mesmo a históricos de vendas e atualização automática do estoque. Isso tornará mais simples a realização de pedidos e evitará excesso ou falta de certos itens, o que traz prejuízo.

Ter uma comunicação unificada

Mesmo que seu negócio tenha várias lojas, o ideal é que haja uma padronização nos processos. Se os colaboradores de cada unidade trabalharem de forma semelhante, isso vai contribuir para que você faça uma boa gestão.

Por isso, é importante ter um canal de comunicação que possibilite o envio de orientações, além de um funcionário encarregado de atuar como multiplicador. Isso facilitará a padronização, colaborando para que você mantenha um bom controle do seu negócio.

Padronizar o atendimento

Um dos benefícios de padronizar o atendimento é aumentar o tíquete médio. Afinal, isso permite que os vendedores tenham bem em mente qual produto ou serviço pode ser agregado em uma venda, a fim de fazer o oferecimento ao cliente.

Vendas adicionais podem fazer uma grande diferença no final do mês, não é verdade? Por isso, é bom treinar os vendedores, para que pratiquem a venda consultiva e trabalhem de acordo com os processos do negócio.

Manter um bom controle sobre as finanças

Elaborar um bom fluxo de caixa é importante desde o nascimento de uma empresa. Porém, assim que o negócio cresce, cuidar das finanças fica cada vez mais complexo.

Mesmo assim, é necessário cuidar bem da receita e da despesa. Além disso, é fundamental monitorar as finanças de cada loja, a fim de garantir que nenhuma delas traga prejuízo ao negócio.

Utilizar um software de gestão integrada e centralizada

Como você está percebendo, a boa gestão de uma rede de lojas requer lidar com um grande número de informações e usá-las de modo coerente. Porém, somente um software de gestão integrada pode reunir e organizar todos esses dados, permitindo que você tome decisões bem fundamentadas.

Neste artigo, você viu que é possível centralizar a gestão da sua rede de lojas, de modo a conciliar o estoque, as finanças, as pessoas e outros elementos do seu negócio com maior eficiência. É claro que a tecnologia ocupa um papel fundamental nessa questão.

Se você gostou das nossas dicas, que tal repassá-las aos seus amigos? Então, compartilhe este artigo agora mesmo em suas redes sociais!

cadastro de produtos

7 dicas imperdíveis para melhorar o cadastro de produtos da sua loja 3 meses ago

Os produtos do seu e-commerce estão com um cadastro bem completo? Ou será que algumas pessoas estão desistindo da compra por falta de confiança? O cadastro de produtos de uma loja virtual deve ser feito com muito capricho, de forma que o cliente consiga ter uma boa ideia das características do item que deseja comprar.

Cadastrando os produtos de sua loja de maneira correta e com muita criatividade e detalhamento, você provavelmente conseguirá aumentar a taxa de conversões. Por isso, nós preparamos este artigo para ajudar você a dar um up no cadastro de produtos da sua loja virtual. Fique de olho nas nossas 7 dicas!

1. Separe por categorias

Há clientes que acessam determinada loja sabendo exatamente o que querem e fazem a busca por palavra-chave. Porém, também há pessoas que gostam de navegar pelas categorias para procurar algo interessante. Por isso, os produtos não podem ficar misturados, sem uma ordem lógica.

Organizar as categorias é como fazer um projeto. Então, pegue papel e caneta ou uma planilha e defina quais são as categorias e subcategorias da sua loja. Logo depois, classifique cada produto. Pode ser que isso dê um pouco de trabalho, mas valerá muito a pena. Dessa forma, a casa estará arrumada para receber as visitas!

2. Produza descrições atrativas e criativas

No mundo das vendas, é importante entender bem a diferença entre características e benefícios. O motivo é que as pessoas estão interessadas justamente nos benefícios que determinado produto vai proporcionar. Por isso, você até pode incluir listas com especificações técnicas, mas, na hora de fazer a descrição, libere o escritor que está dentro de você.

Faça o potencial cliente imaginar como é bom usar aquele objeto. Use palavras bem escolhidas para apresentar os diferenciais do produto e mostrar que a pessoa se sentirá feliz ao usar os recursos daquele item. Evite copiar as informações do site do fabricante e prefira criar as suas próprias descrições para aumentar as chances de sua loja ser encontrada no Google.

3. Padronize as descrições

Embora as descrições devam ser criativas, elas precisam seguir certo padrão. Afinal, quem compra pela internet gosta muito de comparar as características e os recursos dos produtos. Como o visitante fará comparações se as descrições não estiverem padronizadas? Isso poderia deixar o potencial comprador confuso, desanimando-o de fazer negócio com a sua loja.

Se mais de um colaborador ajudar no cadastro de produtos, é importante que todos eles sigam um modelo já estabelecido. Além disso, é útil que uma só pessoa sempre faça as revisões dos cadastros. Isso vai garantir que o texto fique bem escrito e de acordo com o padrão.

4. Invista em tecnologia

A tecnologia permite uma integração fantástica entre loja física e virtual. Existe um tipo de software que é conhecido como ERP, ou sistema de gestão empresarial. Com esse sistema, é possível controlar a movimentação de mercadorias nas duas lojas usando apenas um estoque. Isso simplifica o gerenciamento de produtos, para que nunca haja excesso ou falta de algum item por erro de planejamento.

Mesmo que você trabalhe apenas com e-commerce, um ERP pode ajudar a administrar a infinidade de informações geradas pelo seu negócio. Com diversos dados organizados, é possível ter uma boa visão da sua empresa, de forma que você consiga tomar decisões acertadas com agilidade.

5. Use grades

Esse recurso também é conhecido como cadastro de variações. Se um produto está disponível em 3 cores, não se trata de 3 produtos diferentes. Na verdade, é apenas um, mas com variações de cores, entendeu? Esse é o caso de um par de meias, por exemplo, que está disponível nas cores preta, branca e cinza. Nessa situação, você deve fazer apenas um cadastro de produto e incluir as variações.

Isso é bom para o cliente, que vai poder visualizar as cores ou materiais de determinado produto com maior facilidade, e também é uma ótima prática para você, já que reduzirá a quantidade de cadastros a fazer. Além disso, sempre que for necessário ajustar certas informações na tela do produto, bastará fazer isso apenas uma vez, mesmo que o item tenha variações.

6. Nomeie os produtos com um nome diferente

Ao escrever o nome do produto, não é necessário usar exatamente o mesmo nome escrito na embalagem ou na nota fiscal. Afinal, pode ser que eles não chamem tanta atenção. Também não é recomendado copiar o que está no site do concorrente, pois isso poderá prejudicar o posicionamento da sua loja no Google, por ser considerado plágio.

Na verdade, o ideal é pensar em algo atraente e que seja capaz de cativar o visitante. Se for bem escolhido, o nome pode ter uma grande influência na decisão de compra. Portanto, nomeie seus produtos pensando em como seu potencial cliente faria uma pesquisa num buscador e certifique-se de incluir as características mais importantes.

7. Coloque cores e tamanho

Facilite a vida do seu visitante! Permita que ele visualize na mesma tela todas as variações do produto. Afinal, a pessoa pode ter caído de paraquedas na sua loja a partir de alguma busca feita no Google. Por isso, é importante ter acesso imediato às cores e aos tamanhos disponíveis.

Você não quer perder uma venda fazendo o cliente pensar que não tem a cor de que ele gosta, não é mesmo? Provavelmente, também não quer irritar o comprador fazendo-o avançar no processo de compra para descobrir que seu tamanho não está disponível. Isso não pede nada além de fazer um cadastro bem completo, de forma que o cliente consiga encontrar exatamente aquilo que o agrada.

Conforme você viu neste artigo, é possível melhorar o desempenho das vendas na sua loja virtual ao aprimorar o cadastro de produtos. Por isso, além de preencher o nome e o preço, é essencial fazer uma descrição criativa e detalhada. Assim, apesar de o cliente não poder tocar o produto, ele terá uma boa ideia de como aquele item é e sentirá mais confiança para realizar a compra.

Agora que você já sabe como fazer um cadastro perfeito de produtos, está na hora de aprender a gerenciar promoções. Então, leia nosso artigo “Problemas para gerenciar suas promoções? Resolva em 6 passos!”.

Padronização de processos

Confira as vantagens da padronização de processos na loja física e virtual 3 meses ago

Já aconteceu de um cliente pedir um produto que você deveria ter no estoque mas não tem? Ou pode ser que um de seus funcionários já tenha se esquecido de anexar a nota fiscal a algum pedido a ser enviado. Erros como esses e muitos outros podem ser evitados com a padronização de processos.

Muitas empresas têm investido nessa estratégia para aumentar a eficiência e melhorar os resultados. Então, a decisão de organizar as atividades do negócio é um sinal de que ele está amadurecendo e que você está fazendo uma boa gestão. Por isso, se você quer entender melhor o que é a padronização de processos e por que ela é vantajosa, continue a leitura!

O que é a padronização de processos?

A padronização de processos é uma maneira de organizar as atividades do seu negócio, permitindo que o trabalho seja realizado da forma mais simples e objetiva possível. A meta principal é alcançar resultados que atendam às expectativas dos clientes.

Quando as atividades são padronizadas, os colaboradores passam a ter um método de trabalho. Assim, ao iniciar o expediente, eles já têm em mente tudo o que deverão fazer para desempenhar bem o papel deles no negócio.

Todos os empregados precisam saber o que se espera deles e isso vale tanto para lojas físicas como para as virtuais. Com a padronização de processos, os empregados podem alcançar a excelência, tornando-se peritos em suas atividades.

Quais são as vantagens de investir na padronização de processos?

Os empreendedores que ainda não padronizaram os processos de seus negócios talvez não tenham uma boa noção do quanto isso é vantajoso. Então, veja alguns dos benefícios.

Aumento da produtividade

O que acontece quando ninguém está designado para tratar as reclamações e dúvidas de clientes? O primeiro colaborador que se lembrar realiza a tarefa, não é mesmo? Mas e se no decorrer de um dia inteiro ninguém se lembrar de fazer isso? Então, as consequências dessa falta de produtividade podem prejudicar os resultados.

Quando se padroniza as atividades de um processo, o trabalho passa a ser feito de uma maneira mais objetiva. Se as atividades não são bem definidas, algumas chegam a ficar esquecidas e deixam de ser feitas. Por outro lado, se todos sabem o que devem fazer, haverá uma boa produtividade.

Controle das atividades

Se cada atividade tem um dono, ele também é responsável pelos resultados daquela tarefa. A padronização de processos permite monitorar possíveis falhas na execução das atividades e isso possibilitará um aprimoramento por parte do colaborador.

Isso não tem a ver com fiscalizar os empregados. Na verdade, a padronização de processos ajuda cada colaborador a entender seu papel na empresa, para que consiga cumpri-lo.

Diminuição dos erros

Muitas falhas ocorrem justamente por falta de padronização nas atividades. Afinal, quando há um padrão, o colaborador não precisa descobrir qual é a próxima etapa de seu trabalho porque tudo já foi definido previamente.

Por exemplo, imagine que foi definido que, após a impressão da nota fiscal e da etiqueta de envio, o próximo passo é embalar o pedido e afixar os documentos. Sem essa padronização, em certo dia talvez o colaborador decida seguir uma ordem diferente, o que pode levar ao envio de um pedido errado para o cliente. A padronização de processos evita imprevistos desse tipo.

Maior transparência

Uma vantagem para o gestor é a possibilidade de fazer conferências. Uma das grandes ferramentas que fazem parte da padronização de processos é um software de gestão. Essa tecnologia organiza inúmeras informações a respeito do processo e as exibe em gráficos, tabelas e outros elementos.

Em uma loja física é possível, por exemplo, analisar o desempenho de determinado vendedor. A partir dessa análise, pode-se orientá-lo e oferecer treinamentos para que ele consiga alcançar bons resultados nas vendas.

Esse tipo de análise é muito útil também no e-commerce. Os relatórios de vendas gerados por um sistema de gestão podem ajudar a definir estratégias que levem a resultados ainda melhores.

Mais eficiência na gestão

Um negócio gera uma quantidade enorme de informações, não é verdade? O que aconteceria se você ignorasse a todas elas? Na verdade, há empreendedores e gestores que deixam passar batido várias informações necessárias na hora de tomar decisões e isso é preocupante.

Um software de gestão reúne inúmeros dados do seu negócio e os organiza de uma forma simples de entender. Assim, em poucos segundos você pode saber como está o financeiro da empresa. Também é possível apurar as vendas realizadas, o desempenho de cada vendedor, como está o estoque e assim por diante.

Redução de custos

Esse é um dos principais objetivos de todo gestor. O bom é que esse objetivo não está fora de alcance! Veja bem: se a padronização de processos resulta em melhorar a produtividade, reduzir erros e aumentar a eficiência, o resultado inevitável é a redução de custos.

O monitoramento simplificado por meio de um software de gestão proporcionará um pleno controle de tudo o que está acontecendo na empresa. Assim, qualquer imprevisto pode ser resolvido prontamente, sem que certas situações se tornem grandes problemas.

Como implementar a padronização de processos na empresa?

A padronização de processos é essencial para que um negócio continue se desenvolvendo. Porém, é impossível implementar essa estratégia sem usar um software de gestão. Afinal, essa padronização envolve lidar com incontáveis informações e manter um controle sobre elas requer a ajuda da tecnologia.

Por isso, para padronizar os processos de seu negócio, é importante contar com o apoio de uma empresa bem-conceituada e especializada em softwares de gestão. Com um trabalho de qualidade, ela oferecerá a melhor solução para que sua organização dê esse passo importante rumo à maturidade profissional.

Com a ajuda deste artigo, você entendeu o que é a padronização de processos e por que ela é tão benéfica para as empresas. Essa estratégia será um fator importante para que seu negócio aumente a eficiência, reduza custos e se mantenha forte no mercado. Você não que ficar para trás, não é mesmo?

Nós, da Web Managers, estamos à sua disposição para fornecer as ferramentas de que você precisa para padronizar os processos do seu negócio. Por isso, entre em contato agora mesmo com a gente!

Indicadores de performance

Aprenda de uma vez por todas a definir seus indicadores de performance 3 meses ago

Como está indo o seu negócio? Ele tem evoluído de maneira sustentável? Infelizmente, muitos empresários ainda sentem certa dificuldade em avaliar a situação de suas empresas. Talvez não saibam exatamente o quanto elas são lucrativas e se os clientes estão de fato satisfeitos. Porém, é possível ter tudo isso bem claro na mente por meio dos indicadores de performance.

Os empresários que são realmente comprometidos com as suas empresas se dão conta de que precisam analisar regularmente os dados gerados pelo negócio. Então, continue lendo este artigo para entender melhor o que são esses indicadores de performance e como você pode defini-los para a sua empresa.

O que são indicadores de performance?

Um indicador de performance é uma maneira de medir se determinados aspectos do negócio estão sendo atendidos de acordo com as necessidades da empresa. Por isso, trata-se de uma ferramenta de gestão importantíssima.

Afinal, esses indicadores podem ser usados para tomar decisões, estabelecer estratégias e divulgar resultados de forma simples e transparente. Assim, é possível analisar os resultados do negócio de forma bem direcionada.

Por que é importante defini-los de acordo com as necessidades de sua empresa?

Um conjunto de indicadores de performance não pode simplesmente ser copiado de outra empresa ou da internet para ser implantado no seu negócio. Eles devem ser definidos levando-se em conta os objetivos e as prioridades de cada empresa.

Por exemplo, determinada organização talvez decida melhorar a performance dos colaboradores. Nesse caso, deverão ser estabelecidos indicadores relacionados com a área de RH, como o absenteísmo e a avaliação de aprendizagem.

Se o objetivo é aumentar as vendas, os indicadores de performance devem estar relacionados com a área comercial, como a taxa de conversão e o valor do tíquete médio.

Como sua empresa pode definir os indicadores de performance?

Veja algumas dicas para se levar em conta ao trabalhar com os indicadores de performance.

Considere o foco da empresa

Se o objetivo é aumentar as vendas, talvez você possa definir um indicador para acompanhar a taxa de conversão na loja virtual. Em uma loja física você pode, por exemplo, observar a evolução do tíquete médio.

Entenda o estágio atual do negócio

Se sua empresa está começando agora, é interessante se concentrar em indicadores que validem o modelo de negócio. Por outro lado, empresas maduras devem se concentrar no custo de aquisição de cliente ou no valor vitalício por cliente.

Tome os resultados como base para decisões estratégicas

Os resultados alcançados poderão ser usados como base para definir estratégias. Por exemplo, se a taxa de conversão da loja virtual está insatisfatória, será necessário descobrir os motivos e definir táticas para reverter a situação.

No caso de uma loja física, se o tíquete médio estiver abaixo do esperado, o empresário poderá dar treinamento para os vendedores trabalharem melhor as vendas agregadas.

Certos indicadores de performance são mais relevantes para empresas do comércio, tanto físico como eletrônico. Por exemplo, é útil acompanhar indicadores de produtividade, lucratividade e qualidade. Se você definir metas objetivas e acompanhar esses índices, trabalhará de forma muito mais eficiente.

Conforme você viu neste artigo, indicadores de performance são essenciais para que a empresa tenha um norte e trabalhe de forma focada. Assim, estabelecendo indicadores bem claros, é possível atuar de forma que o negócio se torne cada vez mais forte e lucrativo.

Certamente, você sabe o quanto é importante que um empresário se mantenha bem informado. Portanto, assine agora a nossa newsletter para sempre receber as nossas dicas!

') }(jQuery));