fbpx

Category: Documentos Fiscais

NFC-e

NFC-e passa a ser obrigatória em Minas Gerais 4 meses ago

Atenção varejistas de Minas Gerais! Foi publicada em 6 de fevereiro deste ano, pela Secretaria de Estado de Fazenda/MG, a Resolução Nº 5.234, que propõe a obrigatoriedade da emissão da Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica (NFC-e) Minas Gerais.

A Resolução, que já está em vigor,  estabelece o cronograma para a adesão à nova regra. Veja abaixo:

  • 1º de março de 2019: para todos os contribuintes que se inscreverem no Cadastro de Contribuintes deste Estado a contar da referida data;
  • 1º de abril de 2019: para os contribuintes enquadrados  no código 4731-8/00 pela CNAE (comércio varejista de combustíveis para veículos automotores), ou contribuintes cuja receita bruta anual seja superior a R$100.000.000,00, em 2018 ;
  • 1º de julho de 2019: para os contribuintes cuja receita bruta anual seja superior a R$15.000.000,00 até o limite máximo de R$100.000.000,00, em 2018;
  • 1º outubro de 2019: para os contribuintes cuja receita bruta anual seja superior a R$4.500.000,00 até o limite máximo de R$15.000.000,00, em 2018;
  • 1º de fevereiro de 2020: para os contribuintes cuja receita bruta anual seja inferior ou igual a R$4.500.000,00, em 2018, e demais contribuintes.

Vale ressaltar que a referência de receita bruta anual é esclarecida na resolução  como “o produto da venda de bens e serviços nas operações por conta própria, o preço dos serviços prestados, mesmo que não sujeitos ao ICMS, e o resultado auferido nas operações por conta alheia, não incluído o Imposto sobre Produtos Industrializados – IPI -, as vendas canceladas e os descontos incondicionais concedidos.” (Art. 2º,  § 4º, RESOLUÇÃO Nº 5.234 de 05 de fevereiro de 2019)

A partir da data de obrigatoriedade ou do credenciamento voluntário, os contribuintes poderão utilizar ainda seus emissores de cupom fiscal – ECF já autorizados pelo prazo máximo de nove meses, ou até que a memória do equipamento acabe (o que vier primeiro).

Serão considerados falsos para todos os efeitos fiscais, os documentos fiscais emitidos após o cancelamento da ECF, que pode ocorrer em até 60 dias depois do prazo citado no parágrafo anterior. Já a Nota Fiscal de Venda a Consumidor, modelo 2, poderá ser utilizada até o dia 28 de fevereiro de 2020, apenas para as operações realizadas fora do estabelecimento. A resolução deixa de fora, ainda, os Microempreendedores Individuais (MEI).

Para aderir à NFC-e Minas Gerais, basta fazer o credenciamento junto à SEF disponível no Portal SPED MG. Uma vez realizado o credenciamento, o varejista não poderá mais obter autorização de ECF ou de Nota Fiscal de Venda a Consumidor.

Com as mudanças na lei, é importante que os varejistas mineiros não deixem para última hora a adequação de ERP’s para a emissão de NFC-e.

O WM10 é um ERP 100% em nuvem com emissor de NFC-e, além de outras funcionalidades que deixam a operação da sua loja padronizada. Entre em contato conosco e descubra os benefícios desse software que garante resultados reais ao seu negócio.  

O que mudou com a NF-e 4.0 e como um sistema ERP agiliza os processos? 4 meses ago

Desde o dia 02 de julho de 2018 todas as empresas estão obrigadas a adotar a NF-e 4.0. O novo formato do documento fiscal já estava disponível desde 2017, mas a obrigatoriedade de uso passou a vigorar apenas no ano passado.

O tempo entre a sua disponibilidade e a obrigatoriedade de uso foi estabelecido pelos órgãos de regulamentação, a fim de que as empresas e os desenvolvedores de softwares tivessem tempo hábil para realizar as adequações, adaptando os softwares ao novo modelo.

Neste artigo, você vai entender quais são as mudanças trazidas pela NF-e 4.0 e de que forma um sistema ERP pode auxiliar, agilizando os processos dentro do varejo.

Ficou curioso? Continue a leitura e descubra!

Quais foram as mudanças trazidas pela NF-e 4.0?

A NF-e 4.0 trouxe uma série de mudanças técnicas relacionadas ao layout e preenchimento das informações. Veja alguns dos pontos que merecem destaque!

Conteúdo — Fundo de Combate à pobreza (FCP)

Recebe recursos do Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Um novo layout, com opções de preenchimento relacionadas ao FCP, trazendo opções válidas tanto para operações internas quanto para operações interestaduais, com ou sem a regra da substituição tributária. Na NF-e 4.0, o valor devido deve ser identificado em um campo específico.

Conteúdo — FCP

Novos campos para preenchimento das informações de base de cálculo e ocorrência de retenção aplicada ao Fundo de Combate à Pobreza.

Campo — indicação de forma de pagamento

Com a mudança, é preciso informar o meio de pagamento utilizado, ou seja, se o pagamento ocorreu em dinheiro, cartão de débito ou crédito, cheque ou outra opção.

Campo — indicador de presença

Novo campo que possibilita preencher o local em que foi realizada a operação: presencial ou fora do estabelecimento comercial.

Campo — novas modalidades de frete

Transporte próprio por conta do remetente ou por conta do destinatário.

Layout — “Grupo de Rastreabilidade do Produto”

Informação do código do produto para rastreamento de itens sujeitos à regulação sanitária. Esse item só precisa ser preenchido em alguns casos específicos. No caso de empresas que vendem medicamentos, por exemplo, é preciso informar na nota fiscal eletrônica o código da ANVISA no campo específico do documento.

As mudanças trazidas pela evolução da NF-e são puramente técnicas, desta maneira, se a organização já conta com um sistema ERP de qualidade, as alterações não causaram um impacto muito grande na rotina.

O que é um sistema ERP e como ele se relaciona com a NF-e 4.0?

O sistema ERP é um software que integra todos os dados e processos de uma empresa em um único sistema. Esse tipo de solução traz eficiência e qualifica os processos dentro do negócio.

As empresas têm a possibilidade de implantar um sistema ERP vinculado à emissão de notas fiscais eletrônicas, integrando sistemas em um só local, permitindo o acesso dos colaboradores e facilitando a execução de tarefas e o cruzamento de dados.

Utilizar um sistema ERP com emissor de nota fiscal eletrônica garante mais mobilidade para a empresa, já que é possível acessar o software por qualquer dispositivo que tenha conexão com a internet.

Além disso, ele melhora os indicadores de produtividade, uma vez que os colaboradores conseguem acessar as informações da empresa, emitir documentos fiscais e compartilhar relatórios em tempo real, mesmo que não estejam fisicamente na empresa.

Por que a empresa deve investir neste tipo de solução?

Você deve estar se perguntando: afinal, por que a minha empresa precisa combinar um ERP com a emissão das notas fiscais eletrônicas? Essa pergunta tem mais de uma resposta e todas elas estão relacionadas aos benefícios que o sistema ERP traz quando combinado com a função para emissão do documento fiscal.

O sistema ERP com emissão de NF-e reduz erros na emissão do documento fiscal e garante a melhora no processamento das informações. Assim, como os sistemas são combinados e o ERP já traz dados sobre clientes e mercadorias, fica muito mais fácil realizar o preenchimento da nota fiscal com as informações corretas.

Além disso, ele otimiza a produtividade e mobilidade, uma característica comum ao sistema ERP que segue presente quando disponível a opção de emissão de NF-e. O sistema ERP também permite a emissão de notas fiscais eletrônicas em lote, além de melhorar o controle financeiro, trazendo eficiência e permitindo a emissão de relatórios com agilidade e segurança.

Também facilita a gestão fiscal, uma vez que os melhores fornecedores de sistemas ERP do mercado com emissão de nota fiscal oferecem soluções alinhadas à legislação fiscal, com ferramentas atualizadas que garantem o atendimento de todas as obrigações fiscais. Melhora os indicadores de produtividade, inclusive para empresas que têm funcionários que trabalham externamente.

O sistema ERP online com emissor de NF-e possibilita que os colaboradores acessem as informações, emitam notas fiscais e relatórios e compartilhem todos os dados em tempo real.

Além de todas essas vantagens, o sistema ERP com emissor de nota fiscal eletrônica permite que o gestor utilize algumas métricas importantes para a gestão do negócio, como a velocidade de realização das rotinas, o número de contatos diários, os custos de manutenção, os lucros por cliente, entre outros.

Além da qualidade, a Web Managers é uma empresa reconhecida no mercado que atua por meio de sistemas confiáveis e consolidados. O WM10 é um sistema completo, com emissão de nota fiscal eletrônica em lote, impressa em bobina de impressão não fiscal, o que garante agilidade e reduz o custo, inclusive em manutenção. Além disso, o software armazena os arquivos em XML que são disponibilizados diretamente na área do contador.

Como você pôde ver, a combinação de um ERP com emissão de NF-e é um diferencial que pode beneficiar a rotina da sua empresa, trazendo mais eficiência, segurança jurídica e tributária e melhorando o desempenho da gestão como um todo. Investir nesse tipo de solução é uma vantagem competitiva que vai permitir ao gestor qualificar a sua rotina, trazendo agilidade e qualidade para os seus processos.

Você quer emitir NF-e 4.0 com segurança? Entre em contato com a Web Managers e descubra como podemos ajudar você!

Sistema ERP para importação de arquivo XML: garantia de sucesso! 6 meses ago

Desde 2005, o XML foi estabelecido como o formato padrão para a elaboração dos arquivos digitais das notas fiscais eletrônicas (NF-e). Os arquivos XML armazenam todas as informações da nota fiscal, que são fundamentais para o controle de diversos processos internos do negócio, como a gestão financeira. Por esse motivo, é importante conseguir fazer a importação de arquivo XML para o sistema ERP da empresa.

Ao fazer a importação de arquivos XML para o sistema de gestão empresarial, diversos processos são agilizados. Isso porque ele facilita o cadastro de produtos e fornecedores, a atualização de estoque, o lançamento de contas etc., com base nas informações contidas nos arquivos.

Quer saber como um bom sistema ERP pode ajudar a otimizar processos com a importação de arquivos XML? Acompanhe a leitura!

Quais são as vantagens de se usar um bom sistema ERP?

Um sistema ERP de qualidade permite controlar melhor todos os processos internos do negócio e, consequentemente, aumentar sua eficiência. Com ele, é possível facilitar a execução de diversas atividades rotineiras, como controle financeiro, gestão de estoque, gerenciamento de notas fiscais, entre outras, o que o torna indispensável para qualquer loja, seja ela física ou virtual.

Veja a seguir algumas das principais vantagens de se usar um bom sistema ERP.

Agilidade

Os softwares de gestão são capazes de integrar os processos de diferentes setores do negócio e fornecer informações atualizadas em tempo real aos colaboradores. Dessa forma, quando um membro da equipe faz alguma alteração no sistema, todos os outros conseguem vê-la de imediato. Isso melhora a comunicação interna e agiliza a execução de tarefas e a tomada de decisões.

Além disso, o sistema permite fazer a gestão integrada de diversas lojas de uma mesma rede e promover a integração das lojas físicas com as virtuais, o que proporciona ainda mais eficiência na administração.

Confiabilidade

Com o ERP, é possível automatizar tarefas de forma a reduzir a chance de erros e aumentar a produtividade dos colaboradores. Quando um cliente faz um pedido, por exemplo, a quantidade de produtos em estoque é atualizada automaticamente, o que evita a venda de mercadorias já esgotadas.

Melhoria da logística

Um sistema de gestão pode ajudar também a melhorar a logística da empresa, desde o armazenamento até a distribuição de mercadorias. Com ele é possível gerenciar todos os fornecedores da loja, as entregas de mercadorias, fazer o controle de pedidos, entre outras atividades, de modo a garantir que o produto correto chegue ao cliente de forma ágil.

Redução de custos

A otimização de processos alcançada por meio do ERP é capaz de reduzir custos operacionais e desperdícios e permitir um melhor controle financeiro por meio de relatórios precisos. Além disso, é possível melhorar a performance de vendas da loja e aumentar sua lucratividade ao analisar o perfil dos clientes por meio de informações contidas no ERP e usá-las para:

  • fazer ajustes na precificação dos produtos;
  • planejar melhores promoções e campanhas de marketing;
  • definir a quantidade ideal de cada produto no estoque e direcionar melhor suas compras.

Como otimizar o processo de importação de XML?

Para otimizar o processo de importação dos arquivos XML e aproveitar ao máximo seus benefícios é preciso tomar algumas medidas para evitar erros e gerenciar os documentos de forma adequada. Veja a seguir quais são as principais.

Certifique-se da integridade dos arquivos

Para que os arquivos digitais possam ser lidos corretamente pelo sistema é preciso que estejam íntegros. Por isso, é importante estar atento a possíveis erros nas notas e corrigi-los antes que sejam enviadas para o ERP.

Faça a conferência física dos recebimentos

Ao fazer a importação do arquivo XML é essencial que a equipe faça a conferência física das mercadorias que constam na nota fiscal. Isso evita problemas causados por erros na quantidade de produtos em estoque, bem como permite avaliar melhor a qualidade dos fornecedores.

Evite erros operacionais

É importante evitar o cadastro manual dos produtos, para que não ocorram erros operacionais e haja mais segurança nos dados lançados no sistema. Assim, ao importar a nota, é possível fazer o cadastro rápido e automatizado a partir da relação de produtos contidos na nota.

Além disso, ao importar a nota e cadastrá-la no sistema, a quantidade de produtos em estoque é atualizada automaticamente. Assim, você consegue otimizá-lo e evitar diversos problemas — como vender algum produto não disponível, no caso das lojas virtuais — e planejar melhor as compras de novas mercadorias.

Tenha agilidade no cadastramento de produtos

Caso você já tenha feito um cadastro de produtos em uma planilha eletrônica do Excel, por exemplo, pode utilizá-la para fazer um cadastro massivo de produtos no sistema ERP, o que economiza o tempo dos colaboradores.

Além disso, é possível fazer também a importação de dados de outros sistemas, o que é ideal para empresas que já têm um ERP mas precisam substituí-lo por outro mais eficiente e que atenda melhor às necessidades do negócio.

Vincule produtos aos seus fornecedores

Ao fazer o cadastro de produtos, é importante vinculá-los aos seus fornecedores, que também devem estar cadastrados no sistema. Um mesmo produto pode ter mais de um fornecedor cadastrado, ou seja, não há necessidade de registrar o mesmo produto várias vezes para alterar essa informação.

Use a chave de acesso da nota

Você pode fazer a importação do arquivo XML manualmente ou usar a manifestação do destinatário para baixar as NF-es por meio da chave de acesso da nota, para agilizar o processo. Além disso, o sistema permite verificar as notas emitidas contra seu CNPJ e evitar o seu uso indevido por terceiros.

Gerencie os arquivos na área do contador

A área do contador permite que ele tenha acesso a todos os arquivos XML — tanto as notas de entrada como as de saída — para realizar sua contabilidade de maneira mais ágil dentro do sistema. Isso evita que os arquivos sejam perdidos, como em geral ocorrem ao serem enviados por e-mail, gravados em pendrives etc. Ou seja, o contador da sua empresa tem acesso a todos esses arquivos de maneira organizada, separada e segura no próprio software.

Como você pôde perceber, a importação de arquivo XML é uma funcionalidade essencial de um bom sistema ERP, que simplifica as tarefas e poupa bastante tempo. Por isso, é importante certificar-se de que o sistema de gestão da loja seja capaz de fazer essa automatização da importação de notas e seja especificamente direcionado ao varejo.

Você precisa de um bom sistema ERP com importação de arquivo XML? Entre em contato conosco e saiba como podemos ajudá-lo!

Sua loja está preparada para utilizar GTIN? 12 meses ago

Com a versão 4.0 da Nota Fiscal, também saiu a obrigatoriedade do GTIN (antigo código EAN ou código de barras). Esta regra de validação foi aplicada em homologação em 02/07/2018, e em Produção a partir de 01/12/2018.

 

GTIN – Global Trade Item Number (Números Globais de Item Comercial)

 

Este código é composto por 8, 12, 13 ou 14 posições e é obrigado para NF-e (modelo 55) e NFC-e (modelo 65).

Atenção: Se não informa-lo, ao transmitir uma movimentação ocorrerá a rejeição 883.

Se você utiliza o WM10, clique aqui e veja como se prevenir desde erro e ficar preparado para a atualização.

 

Referência:

Nota Técnica 2017.001 – v 1.30 – http://www.nfe.fazenda.gov.br/portal/exibirArquivo.aspx?conteudo=4DaFPH8v5ac=

O que mudou na NF-e 4.0 1 ano ago

O layout das Notas Fiscais Eletrônicas (NF-e) sofreu uma atualização, da versão 3.10 para 4.0. Todos devem se adequar para emitir no novo modelo, pois o antigo será desativado em 2 de Julho de 2018.

O layout 4.0 traz várias mudanças. Aqui vamos pontuar as principais alterações, aquelas que podem impactar no seu dia-a-dia.

A primeira novidade é a adoção da Transport Layer Security (TLS) 1.2 ou superior, a partir de agora, o protocolo Secure Socket Layer (SSL) não será mais o padrão na comunicação, dessa forma trazendo mais segurança para as empresas.
Para entender mais sobre os protocolos SSL e TLS, clique aqui.

Entre as principais modificações, temos o Fundo de Combate a Pobreza (FCP) para operações internas ou interestaduais com Substituição Tributária (ST). A atualização identificará o valor referente ao percentual de ICMS relativo ao FCP, previsto no artigo 82 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias da Constituição Federal, que não são atendidas pelos campos criados no Grupo de Tributação do ICMS para o estado de destino.

O campo indicador de pagamento também muda e passa a integrar o Grupo de Informações de Pagamento. Nele, há a previsão do preenchimento de dados com os valores de troco, além de ser preciso informar a forma de pagamento – cartão (débito ou crédito), dinheiro, cheque ou vale-alimentação.

Também aparecem entre as novidades da NF-e 4.0 as seguintes modificações:

  • Nas regras de validação de atendimento a novos campos ou a novos controles;
  • No Grupo Identificação da Nota Fiscal Eletrônica, o campo indicador de presença (indPres) agora pode ser preenchido com a opção 5 (operação presencial, fora do estabelecimento), que é o que ocorre no caso de venda ambulante;
  • O Grupo X – Informações do Transporte da NF-e será alterado com a criação de novas modalidades de frete (id: X02), como transporte próprio por conta do remetente ou transporte próprio por conta do destinatário;
  • Será criado um novo grupo chamado rastreabilidade de produto (Grupo I80). Ele vai permitir rastrear qualquer produto sujeito a regulações sanitárias, como é o caso de defensivos agrícolas, itens veterinários, odontológicos, medicamentos, bebidas, águas envasadas e embalagens;
  • Por fim, quando se trata de medicamentos, o código da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) deve ser informado em campo específico que estreia nesta versão do documento.

Todas as novidades já estão em vigor, mas algumas ainda não são obrigatórias. Desde o dia 20 de novembro de 2017, está aberto o ambiente de homologação para testes. Em 4 de dezembro de 2017 começou a funcionar na prática o ambiente 4.0. Porém, por enquanto, tanto as notas na versão 3.10 quanto as notas na versão 4.0 são aceitas.

Essa situação vai mudar a partir do dia 2 de julho de 2018. Nessa data, o Governo Federal não vai mais aceitar as notas na versão 3.10. Portanto, você tem pouco tempo para migrar completamente para o layout 4.0 e evitar qualquer problema decorrente de incompatibilidades quando chegar a data limite.

Se você utiliza o WM10, não se preocupe, porque o sistema já está apto para a nova versão.

ERP WM10

Como não pagar impostos 2 anos ago

Saiba como não pagar impostos sem burlar o fisco.

Uma reclamação que é constante entre os empresários no Brasil é o quanto a Carga Tributária é pesada.  Porém poucos empresários tem buscado a saída para não pagar impostos sem burlar o fisco.  

E como isso é possível?

Conhecendo a legislação fiscal praticada nos Estados!

Parece improvável? Continue lendo…

Sua empresa utiliza os serviços de um escritório de contabilidade,  que na prática,  Já possui este conhecimento,  e se ainda não o possui,  tem acesso aos canais para obter informações com precisão e clareza.  Seu contador é o melhor parceiro para te ajudar a ficar em dia  com o fisco, aliando o conhecimento às ferramentas corretas sua empresa vai alcançar maior LUCRATIVIDADE.

O sistema para lojas WM10 é um grande aliado dos contadores,  permite a definição de regras tributárias, importação e exportação de arquivos fiscais que auxiliam na gestão de lojas físicas e virtuais em todo o Brasil.  Assim tem auxiliado contadores e varejistas a alcançar resultados satisfatórios  com a melhor gestão de seus negócios.

Você vai pagar menos impostos

Exatamente! Muitos produtos com base na sua origem ou destino possuem uma regra tributária diferenciada. Estas informações podem ser obtidas através de uma conversa com contador responsável  por sua empresa.

Existem alguns benefícios e incentivos fiscais concedidos pelo governo mas que não são divulgados porque o interesse, é óbvio,  que sua empresa page mais impostos.

Os clientes WM10 possuem vantagens quando o assunto é regra fiscal, através do portal do contador é possível configurar as regras tributárias para diferentes produtos,  para diferentes perfis de clientes, não importando o Estado destino.

Muitas empresas tem enormes prejuízos tentando burlar o fisco, sendo que, podem fazer uso das vantagens fiscais e ficar em dia com as obrigações tributárias pagando menos impostos, e com isso obter mais lucros com as vendas.

Deixe de pagar impostos indevidos,  chega de perder o sono preocupado com o fisco, utilize as vantagens a que  sua empresa tem direito. Consulte sempre seu contador!

ERP para lojas WM10

O ERP WM10 oferece recursos indispensáveis para o  varejista conhecer melhor sua loja, funções importantes como importação do arquivo XML  de compra, tratamento fiscal adequado de acordo com o perfil do cliente e até mesmo uma análise detalhada do DRE da empresa.

Há 18 anos no mercado atendendo varejistas de todos os portes,  de lojas individuais a redes ou franquias o ERP WM10  oferece suporte para decisões mais assertivas.

Vender não pode ser a maior preocupação de um empresário, e sim a solução e o sucesso de todas as lojas. O ERP WM10  é de fácil utilização,  já vem com recursos que permitem que o empresário tenha controle sobre sua loja mesmo estando à distância.

 Pare de confiar no improviso e no duvidoso,  saiba  em tempo real suas vendas,  o custo da sua loja e gerencie o financeiro de forma mais segura com o ERP WM10 – 100% em nuvem.  Gestão é coisa séria!  Se você não começar hoje, daqui um ano você vai lamentar  ter perdido esta oportunidade.

Solicite o contato de um analista comercial que poderá esclarecer todas as suas dúvidas relacionadas ao ERP para loja

') }(jQuery));